2ª e 3ª Feira – Meditação em Grupo

2ª e 3ª Feira – Meditação em Grupo

Grupo de Meditação da Naturo Barigui!
 
Nossas meditações em grupo são todas as segundas-feiras às 19:00 e todas as terças-feiras às 07:30,
 
Iniciamos pontualmente nos horários marcados!
 
Energia de troca: Alimentos, roupas, produtos de higiene para bebês e crianças que serão doados para o Lar Dona Vera ou contribuição com o nosso espaço (troca sugerida R$10). Lei da Gratidão e Prosperidade!!! 🙏
3ª Feira – Ambulatório Reiki

3ª Feira – Ambulatório Reiki

Atendimento holístico individual e personalizado focado na terapia de cura natural Reiki, meditação e autoconhecimento, para harmonização energética e cura física, mental, emocional e espiritual.

Sessão com duração de até 30 minutos e valor de troca sugerido de R$30.

Para reservar um horário utilize o formulário neste link, confirmaremos por e-mail ou telefone em seguida:
ensoreiki.wordpress.com/ambulatorio-de-reiki


Pagamentos: Devido ao valor de troca simbólico, pede-se encarecidamente pagamentos em dinheiro, não serão aceitos cartões.

TERAPIA COM REIKI

Além do ambulatório, vivencie o atendimento terapêutico holístico com sessão tradicional, duração de aproximadamente uma hora, onde pode-se aprofundar o relaxamento trazendo um novo olhar sobre si mesmo e as situações diversas da vida.

Neste atendimento também podem ser utilizados: Aromaterapia, musicoterapia, cromoterapia com cristais, limpeza de aura e manobras xamânicas, caso necessário.

Agende de Segunda a Sexta das 14h às 18h:
Primeira Consulta* / duração de 1h30 até 2h / R$ 120
Demais Consultas / duração de 1h / R$ 80

Informações e agendamentos pelo Whats: 41 9 9139 1990

*Para clientes do Ambulatório a primeira consulta não é necessária, porém recomendada.

Facilitador:
Nellynton Borim (Tom)
tom.enso.reiki@gmail.com
ensoreiki.wordpress.com
Facebook: Enso Reiki

Segunda Lei das Ordens do Amor: Ordem ou Hierarquia

Segunda Lei das Ordens do Amor: Ordem ou Hierarquia

Essa lei mostra nosso lugar no mundo, e que esse lugar nos é dado no momento em que chegamos aqui, no momento tomamos a vida através dos nossos pais. Para explicar, verifique, qual é o seu lugar na sua família de origem? Você é o primeiro filho, o segundo, o caçula? Esse é seu lugar!

Tudo tem seu lugar

Primeiro você é filho dos seus pais, eles vieram primeiro, são os grandes! E, em relação aos irmãos também temos o nosso lugar de acordo com nossa chegada nesse mundo, nesse sistema. Essa lei quando violada também traz muitas consequências para o clã familiar, se um irmão mais novo quer tomar o lugar do irmão mais velho, pois se acha melhor, mais inteligente, mais capacitado, ficará fora de ordem e pagará um preço. Se eu me caso com um homem que já teve outro relacionamento e me coloco melhor, mais importante, nessa arrogância, estabeleço uma desordem e terá um preço, o qual, muitas vezes, será uma filha dessa nova relação, por exemplo, que se identificará com a primeira mulher do seu pai, reivindicando o lugar desta primeira parceira. Como isso pode acontecer? Essa filha pode fazer sintomas, e quando colocamos a constelação é mostrado qual é a dinâmica e a possível solução, a qual é dar a essa mulher que veio primeiro na vida deste homem o seu lugar, e este homem agradece no seu coração a essa mulher por tudo como foi, e essa nova esposa então, pode assumir o seu lugar, daquela que veio depois, e que só pode estar ali agora, pois a parceira anterior permitiu, quando liberou esse homem. Lembrando, que cada caso é um caso! Aqui estamos apresentando somente exemplos, afim de facilitar a compreensão.

 

Será que eu respeito a Lei das Ordens?

 

De acordo com os ensinamentos de Bert Hellinger, quem não sabe seu lugar na sua família, no seu sistema, não encontra seu lugar no mundo! E isso se reflete em todos os aspectos da nossa vida, desde relações de amizade ao trabalho, entre outros.
Portanto, a postura que devemos ter, é de sempre respeitar o nosso lugar de chegada no sistema familiar ao qual pertencemos, assim como na empresa que trabalhamos, com as relações afetivas, amigos, etc. Isso nos trará mais força para seguir na vida com mais leveza e nos permitimos assim, ter sucesso.

 

Quer saber se você respeita a Lei da Ordem? Então, respondas as questões abaixo e tire suas conclusões:

1. Consegue olhar com respeito para aqueles que vieram antes de você na sua família? Ou fica somente no julgamento de seus comportamentos ou atitudes negativas? 

2. Toma partido em relação aos seus pais, ficando a favor de um e contra o outro?

3. Vê seu pai ou sua mãe como menores ou fracos, incapazes de resolverem seus problemas, chegando ao ponto de querer resolver por eles, mesmo quando não lhe pedem ajuda? 4. Em relação aos irmãos, se os tem, acredita ser mais importante, tendo mais direitos que eles?

5. Assume para si o papel de seus pais em relação a ajudar um irmão mais novo? Se percebe mais “capacitado” que seus pais?

6. Julga-se mais importante do que os filhos do primeiro casamento do seu marido ou esposa?

7. No trabalho, olha com respeito para os que vieram antes de você? Reconhece a importância deles na empresa, do quanto contribuíram e contribuem?

8. Tem dificuldade de relacionamento com quem está acima de você hierarquicamente no trabalho, na empresa?

 

“Muita gente julga que o amor tem o poder de superar tudo, que é preciso
apenas amar bastante e tudo ficará bem. (…). Para que o amor dê certo, é
preciso que exista alguma outra coisa ao lado dele. É necessário que haja o
conhecimento e o reconhecimento de uma ordem oculta do amor. ”

Bert Hellinger

Adriani L Buche

O Equilibrio entre o Dar e o Tomar

O Equilibrio entre o Dar e o Tomar

Essa lei é bem clara nas relações de casal, quando ela é respeitada, a relação entre homem e mulher cresce, se eleva, se desenvolve, se
fortalece, no entanto, quando é desrespeitada, nem que seja por um dos parceiros, a relação desmorona, não aguenta, e se mesmo assim o casal resolver seguir juntos, será um relacionamento difícil, com muitos conflitos e dor.

 

Numa ralação de casal, por exemplo, mas serve para todas as relações,seja de trabalho, de amizade e outros, quando um dá muito, faz muito pelo outro, entrega demais, não dando a oportunidade de o parceiro também entregar algo para equilibrar, geralmente esse que recebe muito vai embora, pois não aguenta o peso. Dessa forma, nas nossas relações devemos entregar, mas também receber, ou seja ,ora entrego ora recebo, e trocasse as posições, onde quem deu agora recebe, dando aoportunidade para quem recebeu também dar, sendo que esse movimento entre dar e tomar, nutre as relações, pois, principalmente na relação de casal, esta precisa ser uma relação ombro a ombro, relação entre iguais, pois se um dá muito e o outro só recebe, aquele que só entrega fica grande, superior e o outro se sente devedor, inferior, e isso a relação não suporta. Então o equilíbrio entre o dar e o tomar é muito importante nas relações.

Mas quando ocorre o desequilíbrio, o que fazer?

Por exemplo, se um homem trai a sua esposa e ela simplesmente o perdoa, ela fica superior ao marido, prejudica muito a relação. O que pode fazer, é aquilo o que chamamos de “vingancinha”, isto é, essa mulher terá que ter uma compensação para continuar na relação; ela pode por exemplo estourar o cartão de crédito do marido (só um exemplo). Se para ela isso faz equilibrar, ela se sente vingada, tudo flui, no entanto se ela fizer algo ainda pior do que o marido, a relação não se mantém, pois gera uma disputa de quem pode mais.

Portanto, se no positivo a troca na relação deve ser: eu entrego um tanto, o outro recebe e depois entrega um pouquinho mais, no tanto que o parceiro da conta de retribuir depois, isso é uma relação de iguais. Já quando acontece algo entre o casal no negativo, a devolutiva deve ser um pouco menor, na quantia que fica bom para os dois, dessa maneira a relação pode seguir adiante, caso contrário a relação perde a força.

Falando nisso…

Falando ainda dessa terceira lei, a única relação que não há possibilidades de equilíbrio é entre pais e filhos, pois estes serão sempre os grandes e os filhos os pequenos, ou seja, essa é uma relação desigual, pois não temos como devolver a vida que nossos pais nos deram, não tem nada maior do que a vida. Uma possibilidade de agradecer nossos pais pela dádiva da vida é fazendo a nossa vida, tendo os nossos filhos, fazendo algo de bom com a vida que tomamos de nossos pais, seja da forma que foi, do jeito que eles deram conta. O mais importante eles nos deram: A vida! E issonão tem preço!

Um texto de Adriani L Buche