O Equilibrio entre o Dar e o Tomar

Essa lei é bem clara nas relações de casal, quando ela é respeitada, a relação entre homem e mulher cresce, se eleva, se desenvolve, se
fortalece, no entanto, quando é desrespeitada, nem que seja por um dos parceiros, a relação desmorona, não aguenta, e se mesmo assim o casal resolver seguir juntos, será um relacionamento difícil, com muitos conflitos e dor.

 

Numa ralação de casal, por exemplo, mas serve para todas as relações,seja de trabalho, de amizade e outros, quando um dá muito, faz muito pelo outro, entrega demais, não dando a oportunidade de o parceiro também entregar algo para equilibrar, geralmente esse que recebe muito vai embora, pois não aguenta o peso. Dessa forma, nas nossas relações devemos entregar, mas também receber, ou seja ,ora entrego ora recebo, e trocasse as posições, onde quem deu agora recebe, dando aoportunidade para quem recebeu também dar, sendo que esse movimento entre dar e tomar, nutre as relações, pois, principalmente na relação de casal, esta precisa ser uma relação ombro a ombro, relação entre iguais, pois se um dá muito e o outro só recebe, aquele que só entrega fica grande, superior e o outro se sente devedor, inferior, e isso a relação não suporta. Então o equilíbrio entre o dar e o tomar é muito importante nas relações.

Mas quando ocorre o desequilíbrio, o que fazer?

Por exemplo, se um homem trai a sua esposa e ela simplesmente o perdoa, ela fica superior ao marido, prejudica muito a relação. O que pode fazer, é aquilo o que chamamos de “vingancinha”, isto é, essa mulher terá que ter uma compensação para continuar na relação; ela pode por exemplo estourar o cartão de crédito do marido (só um exemplo). Se para ela isso faz equilibrar, ela se sente vingada, tudo flui, no entanto se ela fizer algo ainda pior do que o marido, a relação não se mantém, pois gera uma disputa de quem pode mais.

Portanto, se no positivo a troca na relação deve ser: eu entrego um tanto, o outro recebe e depois entrega um pouquinho mais, no tanto que o parceiro da conta de retribuir depois, isso é uma relação de iguais. Já quando acontece algo entre o casal no negativo, a devolutiva deve ser um pouco menor, na quantia que fica bom para os dois, dessa maneira a relação pode seguir adiante, caso contrário a relação perde a força.

Falando nisso…

Falando ainda dessa terceira lei, a única relação que não há possibilidades de equilíbrio é entre pais e filhos, pois estes serão sempre os grandes e os filhos os pequenos, ou seja, essa é uma relação desigual, pois não temos como devolver a vida que nossos pais nos deram, não tem nada maior do que a vida. Uma possibilidade de agradecer nossos pais pela dádiva da vida é fazendo a nossa vida, tendo os nossos filhos, fazendo algo de bom com a vida que tomamos de nossos pais, seja da forma que foi, do jeito que eles deram conta. O mais importante eles nos deram: A vida! E issonão tem preço!

Um texto de Adriani L Buche